sábado, 30 de abril de 2016

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Clínica da Alma - Momento Leitura

Por que sofrer mais?

Médico Cirurgião – Jesus Cristo

Filiação – Filho de DEUS

Médico Auxiliar – O Espírito Santo

Sua Experiência – Infalível

Residência e Consultório – Em todas as Partes

Sua Especialidade – O Impossível

Seu Instrumento – O Poder

Seu Favor – Graça

Seu Livro de Receitas – A Bíblia

Doenças que Cura – Todas

Preço do Tratamento – Fé

Sua Garantia – Absoluta

Sala de Cirurgia – O Altar

Sua Dieta – Oração

Seus Exercícios – Boas obras e Frutos

Horário de Consulta – 24 horas por dia


DR. JESUS CRISTO

(Autor Desconhecido)

terça-feira, 26 de abril de 2016

Pauta da Aula (Turma Boqueirão - ICEPG) • 14/04/2016 (19h às 21h) – Gramática

- Substantivo (Flexão de Grau) – pp. 97 e 100;

- Exercícios para fixação de conteúdo – pp. 104 a 109.

Obrigado pela presença.
Até a próxima aula: 28/04.

Abraços.
Prof. Esp. Flávio dos Santos




A Maior Bronca que Já Levei (Momento Leitura)

Tínhamos uma aula de Fisiologia na escola de medicina logo após a Semana da Pátria. Como a maioria dos alunos havia viajado aproveitando o feriado prolongado, todos estavam ansiosos para contar as novidades aos colegas e a excitação era geral.
Um velho professor entrou na sala e imediatamente percebeu que teria trabalho para conseguir silêncio. Com grande dose de paciência tentou começar a aula, mas você acha que minha turma correspondeu? Que nada. Com um certo constrangimento, o professor tornou a pedir silêncio educadamente. Não adiantou, ignoramos a situação e continuamos firmes na conversa. Foi aí que o velho professor perdeu a paciência e deu a maior bronca que já presenciei. Veja o que ele disse:
- Prestem atenção porque eu vou falar uma única vez – disse, levantando a voz e um silêncio carregado de culpa se instalou em toda a sala e o professor continuou.
- Desde que comecei a lecionar, e isso já faz muitos anos, descobri que nós, professores, trabalhamos apenas 5% dos alunos de uma turma. Em todos esses anos observei que de cada cem alunos, apenas cinco são realmente aqueles que fazem alguma diferença no futuro; apenas cinco se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; são medíocres e passam pela vida sem deixar nada de útil. O interessante é que essa porcentagem vale pra todo o mundo. Se vocês prestarem atenção notarão que de cem professores, apenas cinco são aqueles que fazem a diferença; de cem garçons, apenas cinco são excelentes; de cem motoristas de táxi, apenas cinco são verdadeiros profissionais. E podemos generalizar ainda mais: de cem pessoas, apenas cinco são verdadeiramente especiais. É uma pena muito grande não termos como separar esses 5% do resto, pois se isso fosse possível, eu deixaria apenas os alunos especiais nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para dar uma boa aula e dormiria tranquilo sabendo ter investido nos melhores. Mas, infelizmente não há como saber quais de vocês são esses alunos. Só o tempo será capaz de mostrar isso. Portanto, terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que estará sendo feita pelo resto. Claro que cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá. Obrigado pela atenção e vamos à aula de hoje.
Nem preciso dizer o silêncio que ficou na sala e o nível de atenção que o professor conseguiu após aquele discurso. Aliás, a bronca tocou fundo em todos nós, pois minha turma teve um comportamento exemplar em todas as aulas de Fisiologia durante todo o semestre; afinal, quem gostaria de espontaneamente ser classificado como fazendo parte do resto? Hoje não me lembro de muita coisa das aulas de Fisiologia, mas a bronca do professor eu nunca mais esqueci. Para mim, aquele professor foi um dos 5% que fizeram a diferença em minha vida. De fato, percebi que ele tinha razão e, desde então, tenho feito de tudo para ficar sempre no grupo dos 5%, mas, como ele disse, não há como saber se estamos indo bem ou não; só o tempo dirá a que grupo pertencemos.

Contudo, uma coisa é certa: se não tentarmos ser especiais em tudo que façamos, se não tentarmos fazer tudo o melhor possível, seguramente sobraremos na turma do resto.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Pauta da Aula (Turma Tude Bastos - PIBPG) • 13/04/2016 (19h às 21h) – Gramática

- Plural dos Substantivos Compostos – pp. 95 e 96.

Obrigado pela presença.
Até a próxima aula: 20/04.

Abraços.
Prof. Esp. Flávio dos Santos



Dicas para a redação do Enem

Por Redação Eschola.com | – 06/08/2012

O MEC divulgou o seu Manual para a Correção das redações do Enem, mas a imprensa deu destaque apenas aos critérios para correção das Redações com dois ou três professores e deixou de lado o mais interessante e útil para os alunos que é “o caminho das pedras” para uma boa redação dentro desses critérios.
Esse caminho começa com a definição das 5 competências que serão cobradas, cada uma delas valendo até 200 pontos em um total de 1.000.
Recomendamos fortemente que todos leiam a íntegra das recomendações porque as informações ali contidas são valiosas.


A seguir, trazemos um resumo contendo o primeiro (200 pontos) e o último (zero ponto) dos cinco níveis de desempenho que serão utilizados para avaliar cada uma das Competências que serão cobradas nas redações do Enem 2012:

Competência 1: Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita. 200 pontos

O participante demonstra excelente domínio da norma padrão, não apresentando ou apresentando pouquíssimos desvios gramaticais leves e de convenções da escrita. Assim, o mesmo desvio não ocorre em várias partes do texto, o que revela que as exigências da norma padrão foram incorporadas aos seus hábitos linguísticos e os desvios foram eventuais. Desvios mais graves, como a ausência de concordância verbal, excluem a redação da pontuação mais alta. 0 ponto

O participante demonstra desconhecimento total da norma padrão, de escolha de registro e de convenções da escrita.

Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento, para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 200 pontos

O participante desenvolve muito bem o tema, explorando os seus principais aspectos. A redação contém uma argumentação consistente, revelando excelente domínio do tipo textual dissertativo-argumentativo. Isso significa que o texto está estruturado, por exemplo, com: uma introdução, em que a tese a ser defendida é explicitada; argumentos que comprovam a tese distribuídos em diferentes parágrafos; um parágrafo final com a proposta de intervenção funcionando como uma conclusão.
Além disso, os argumentos defendidos não ficam restritos à reprodução das ideias contidas nos textos motivadores nem a questões do senso comum. 0 ponto

O participante desenvolve texto que não contempla a proposta de redação: desenvolve outro tema e/ou elabora outra estrutura textual que não a dissertativo-argumentativa – por exemplo, faz um poema, descreve algo ou conta uma história.

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 200 pontos

O participante seleciona, organiza e relaciona informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto de forma consistente, configurando autoria, em defesa de seu ponto de vista. Explicita a tese, seleciona argumentos que possam comprová-la e elabora conclusão ou proposta que mantenha coerência com a opinião defendida na redação. 0 ponto

O participante apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos incoerentes ou não apresenta um ponto de vista

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 200 pontos

O participante articula as partes do texto, sem inadequações na utilização dos recursos coesivos. A redação enquadrada neste nível não poderá conter: frases fragmentadas que comprometam a estrutura lógico-gramatical; sequência justaposta de idéias sem encaixamentos sintáticos; ausência de paragrafação; frase com apenas oração subordinada, sem oração principal. Poderá, porém, conter eventuais desvios de menor gravidade: emprego equivocado do conector; emprego do pronome relativo sem a preposição, quando obrigatória; repetição ou substituição inadequada de palavras sem se valer dos recursos oferecidos pela língua. Entretanto, o mesmo erro não poderá se repetir, uma vez que essa pontuação deve ser atribuída ao participante que demonstrar pleno domínio dos recursos coesivos. 0 ponto

O participante apresenta informações desconexas, que não se configuram como texto.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. 200 pontos

O participante elabora proposta de intervenção clara e inovadora, relacionada à tese e bem articulada com a discussão desenvolvida no texto. São explicitados os meios para realizá-la. 0 ponto

O participante não apresenta proposta de intervenção

Com a leitura atenta da definição dessas 5 competências e entendendo bem o que será cobrado para obter o melhor nível de desempenho, o candidato terá tudo para obter um excelente resultado na prova de Redação do Enem.

domingo, 24 de abril de 2016

Pauta da Aula (Turma Boqueirão - ICEPG) • 07/04/2016 (19h às 21h) – Gramática

- Plural dos Substantivos Compostos – pp. 95 e 96.

Obrigado pela presença.
Até a próxima aula: 14/04.

Abraços.
Prof. Esp. Flávio dos Santos



Excesso de brincadeiras e piadinhas pega mal com as garotas (Por Jairo Bouer) - Momento Leitura

Ponto para você que consegue admitir que, de alguma forma, está pisando na bola com as garotas. Muita gente percebe que faz um montão de bobagens na hora de se relacionar com os outros, mas não dá o braço a torcer. Resultado: as aproximações e os namoros ficam muito mais complicados.
            O que o senhor anda fazendo de tão grave para afugentar as meninas? Será que as tais piadinhas infames têm tanto poder assim? O que leva alguém a fazer piadinhas o tempo todo? Vai ser necessário mesmo mudar seu jeito para conquistar as garotas?
            Toda vez que tentamos inventar um novo jeito de ser para agradar às outras pessoas, corremos o risco de errar feio. Por quê? Não adianta fingir ser uma pessoa que você não é. Provavelmente você é um cara bem-humorado e alegre, e isso é ótimo. É com esse seu jeitão que vai conquistar as meninas. Nada de tentar ficar vestindo um personagem que não é o seu. Isso soa falso e as garotas percebem na hora.
            Você tem de aprender a usar esse senso de humor a seu favor. Não precisa ficar contando piadinhas para “chegar às meninas”. Uma boa dose de humor inteligente cativa muito mais do que uma dezena de piadas sem graça. Isso sem falar no seu charme, carisma, jogo de cintura e lábia. Esses são recursos que a gente desenvolve com o tempo e a prática.
            Talvez até o fato de você ficar contando piadas o tempo todo para fazer seus amigos rirem traduza algum tipo de insegurança e imaturidade. Na sua cabeça, podem passar ideias como “se eu não fizer os caras rirem, eles vão me achar chato, sem graça ou bobo” ou ainda “a turma gosta de mim porque eu divirto todo mundo”.
            Mais uma vez: nada contra risos, diversão ou piadas. O bom humor faz parte do seu estilo. Mas, tome cuidado para não ficar achando que essa é a única forma que você tem para se relacionar com as pessoas. Use isso a seu favor e perceba que há outras possibilidades e formas de chegar à galera.
            Além de piadas, as meninas e os amigos curtem conversar, trocar ideias, discutir assuntos interessantes, falar de música, de cinema, de baladas, de paquera, de política, de eleição e por aí vai. Não dá pra ficar só zoando e rindo o tempo todo, não é?
            Tente sacar o que leva você a só insistir nas piadas. Preste atenção às formas que seus amigos usam para “chegar às meninas”. Veja quais os outros recursos, leia, procure se informar sobre o que está acontecendo, aprenda a discutir, a usar seu charme e nunca abra mão desse seu bom humor. Pode apostar que não faltarão oportunidades para você mostrar que não é nada bobo.

Jairo Bouer, 36, é médico.
Se você tem dúvidas sobre saúde,
 escreva para o Folha Teen
 ou para jbouer@uol.com.br

sábado, 23 de abril de 2016

Pauta da Aula (Turma Tude Bastos - PIBPG) • 30/03/2016 (19h às 21h) – Gramática

- Substantivos Uniformes (Epicenos, Comuns de dois e Sobrecomuns) – pp. 90 e 91;
- Flexão de Número (Singular e Plural) – pp. 92 e 93;
- Plural Metafônico – pp. 94 e 95.

Obrigado pela presença.
Até a próxima aula: 06/04.

Abraços.
Prof. Esp. Flávio dos Santos



Amor e Amizade (Por William Shakespeare): Momento Leitura

Perguntei a um sábio, a diferença que havia entre amor e amizade; e ele me disse essa verdade:

O Amor é mais sensível,
A Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas, a Amizade o chão. No Amor há mais carinho,
Na Amizade compreensão.
O Amor é plantado e com carinho cultivado, a Amizade vem faceira, e com troca de alegria e tristeza, torna-se uma grande e querida companheira.
Mas quando o Amor é sincero ele vem com um grande amigo,
E quando a Amizade é concreta, ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo ou uma grande paixão, ambos os sentimentos coexistem dentro do seu coração.

(William Shakespeare)

Domínio da Língua Portuguesa Impulsiona a Carreira - Capa da Revista Veja

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Os Três Pilares que Sustentam a Escolha da Profissão - Momento Leitura

Conhecer a si mesmo, saber como será o curso e se informar a respeito do dia a dia da carreira são passos fundamentais para acertar na decisão. Veja onde buscar essas informações

Uma escolha profissional consciente leva em conta pelo menos três elementos: quem é você, o que se estuda durante o curso e como é o dia a dia da profissão. “O primeiro ponto importante para a decisão responsável é o autoconhecimento. O estudante deve se voltar para ele mesmo, precisa conhecer suas habilidades, seus interesses e seus valores”, afirma Selena Garcia Greca, psicóloga especialista em orientação profissional e desenvolvimento de carreira. Não adianta cursar Arquitetura ou Design, por exemplo, se você não possui um traço legal na hora de desenhar, ou estudar Filosofia se não está disposto a ficar horas e horas lendo.
O próximo passo é buscar informações sobre o curso em que você planeja passar quatro ou cinco anos. Uma dica importante é verificar a qual grande área do conhecimento a graduação pertence: Ciências Humanas, Ciências Biológicas ou Ciências Exatas. “Muitos escolhem Engenharia Ambiental imaginando que é um curso da área Biológica, porque trata do meio ambiente. E só descobrem que a graduação está ligada à área de Exatas quando estão dentro do curso”, alerta.

A carreira
As feiras de cursos e profissões organizadas por escolas e universidades são uma boa oportunidade para conhecer a rotina de cada profissão.
Além disso, é importante visitar ambientes de trabalho e conversar tanto com quem acabou de entrar no mercado quanto com profissionais mais experientes.
O objetivo é conhecer o lado agradável e o lado espinhoso da profissão. “Proponho ao aluno fazer entrevistas com profissionais. Ele deve levar uma lista de perguntas. O estudante pode questionar quais foram as piores dificuldades que o profissional encontrou e como enfrentou a situação”, exemplifica Flávio Pereira, psicólogo e conselheiro vocacional.
[...]

Autoconhecimento
Quem está muito indeciso pode procurar pelos serviços de orientação profissional oferecidos por universidades, escolas e consultórios de psicologia. Não se deve confundir orientação profissional com teste vocacional, modelo muito comum há alguns anos e ainda é encontrado aos montes na internet.
O teste consiste num questionário rápido e simples, que aponta algumas áreas de afinidade do estudante. A orientação inclui também entrevistas com psicólogos, pesquisas sobre diferentes ocupações e, algumas vezes, dinâmicas de grupo.
“É um processo mais demorado, que depende muito de cada pessoa. Há jovens que em três ou quatro encontros semanais já definiram uma carreira. Mas, em média, são necessários oito encontros”, afirma a psicóloga Luciana Albanese Valore.
A orientação profissional não aponta os cursos ideais para cada um; essa é uma decisão que só você pode tomar. “Não é dada uma resposta pronta. Costumo dizer que a pessoa entra com uma minhoca ou duas na cabeça e sai com várias. Mas os encontros criam um antídoto contra fantasias, da pessoa que participa da orientação e dos outros que convivem com ela”, explica Flávio Pereira, psicólogo e conselheiro vocacional.

O curso
Um dos caminhos é visitar feiras. Nesses locais você pode conversar com estudantes e professores, que apresentarão o curso e as possibilidades de atuação profissional.
Não se esqueça, porém, de que essas pessoas estarão lá para convencê-lo. “Na faculdade, o pessoal está preparado para vender o curso. Isso pode gerar mais fantasia na cabeça do jovem”, afirma Flávio Pereira, psicólogo e conselheiro vocacional.
Luciana Valore concorda e diz que é importante procurar também outras fontes de informação. “Nas feiras, alunos e professores apaixonados pelo curso é que falam sobre a profissão. De preferência, o jovem deve conversar com vários profissionais, com pessoas do meio acadêmico e com quem está no mercado”, diz.
Outra dica é conhecer as matérias básicas de cada curso e analisar os currículos de várias instituições de ensino, pois a mesma graduação pode ter ênfase diferente de acordo com a universidade. Você também deve visitar os laboratórios e as outras instalações do curso, para verificar como se sente nesses locais.
[...]

CAMPOS, Marcela. Os três pilares que sustentam a escolha da profissão. Disponível em: HTTP://www.gazetadopovo.com.br/vestibular/conteudo.phtml?tl=1&id=1098270&tit=Os-tres-pilares-que-sustentam-a-escolha-da-profissao. Acessado em: 14 nov. 2011.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Pauta da Aula (Turma Boqueirão - ICEPG) • 31/03/2016 (19h às 21h) – Gramática


- Substantivos Biformes – pp. 89 e 90;
- Substantivos Uniformes – pp. 90 e 91.

Obrigado pela presença.
Até a próxima aula: 07/04.

Abraços.
Prof. Esp. Flávio dos Santos



BUSCO UM AMIGO - Momento Leitura

Busco um amigo
Que me diga sempre a verdade
Que não camufle as minhas lágrimas.

Um amigo
Cuja presença traga alegria.
Cuja lembrança infunda coragem.

Um amigo
Ao qual eu possa dizer: “Desculpe-me” - uma, duas, três... vezes.

Um amigo
Que não me seja nem mestre, nem discípulo
Mas um companheiro com o qual eu possa caminhar rumo ao infinito
Em qualquer momento.

Um amigo
Que ao amanhecer não me diga: “Bom-dia”
Mas me abra o seu coração com um amável sorriso.

Um amigo
Cuja amizade seja óleo doce, suave e perfumado, extraído da fruta amarga da árvore espinhosa.

Um amigo
Que não se preocupe em dar ou receber mais do que
seja capaz de Compartilhar.

Um amigo
Simples, sincero e natural
Capaz de chorar e,
Acima de tudo,
Sorrir.

Um amigo
Que seja o reflexo de DEUS!!!!!!!!

(Autor desconhecido)
Obs.: Se alguém descobrir o Autor deste texto, avise-me; para eu poder dar o devido crédito.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Pauta da Aula (Turma Tude Bastos - PIBPG) • 23/03/2016 (19h às 21h) – Gramática

Pauta da Aula (Turma Tude Bastos - PIBPG)
• 23/03/2016 (19h às 21h) – Gramática

- Análise Morfológica Simples e Completa do Substantivo;
- Substantivos Biformes – pp. 89 e 90.

Obrigado pela presença.
Até a próxima aula: 30/03.

Abraços.
Prof. Esp. Flávio dos Santos



Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida (Por Luís Fernando Veríssimo) - Momento Leitura

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:

"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes."
No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:
- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso?
- Ainda bem que esse infeliz morreu!
Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e quem tinha atrapalhado tanto a cada um deles.
A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão?”
No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo...
Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

"SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU (SUA) NAMORADO (A) MUDA.
SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA!"


O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando você muda.